divagando, opinião, Uncategorized

Você é Burro!

Foi isso o que falei a mim mesmo, após ter sido reprovado em dois processos seletivos para tentar passar em algum colégio que fosse um pouco melhor do que aquele em que eu estava estudando há mais de 8 anos. É uma merda quando isso acontece. Eu sei que esse tipo de falha acontece com quase todo mundo. Meu pai continuou jogando isso na minha cara por mais uns dois anos, dizendo que meu primo pobre, criado na favela, estudou em escolas péssimas e passou na Federal e eu, um garoto mimado que sempre estudou em escola particular, não. Não fico com raiva dele por isso, acho que me pai deve ter se culpado muito pela minha falha também. Algumas pessoas ao lerem isso, podem pensar que eu era muito burro naquela época… Mas não é bem assim, depende do que você entende por “pessoa burra”. Se para você, uma pessoa burra é alguém que não entende o básico de álgebra, que não sabe fazer uma “regrinha de três” e que não sabe o que é raios é um adjunto adnominal; então, realmente, na sua concepção eu era uma anta. Eu não acho que é o conhecimento dessas coisas ensinadas na escola que deve me definir como uma pessoa inteligente ou burra. Conheço muitas pessoas brilhantes que enchem a boca para dizer que são burras, incompetentes, fracassadas. O que as fez pensar assim? É um tremendo desperdício ver essas pessoas se rotulando desta maneira. Então, Diego, o que é uma pessoa inteligente pra você? Oras, uma pessoa que pensa por si só. Uma pessoa que se pergunte: “por que diabos eu tenho que saber Citologia? Onde vou usar isso?”. Uma pessoa que em vez de decorar métodos de resolver uma inequação, se pergunte qual é a necessidade de aprender aquilo. Alguém que tenha vontade de saber o “Porque” das coisas. Lembro-me que, ao chegar em casa, depois das tediosas e pouco motivadoras manhãs de escola, eu ia direto para o computador, para pesquisar sobre coisas que realmente me interessavam. Eram os assuntos mais estranhos e variados para um garoto do ensino fundamental se interessar. Eu pesquisava sobre eletrônica, mecatrônica, instrumentos musicais, pintura automotiva, magnetismo, armas caseiras, e mais um bocado de coisas das quais eu achava fascinante. Cheguei a construir um auto falante usando sucata, como: cola Super Bonder, papel sulfite para o cone, um imã que não me recordo de onde tirei, e alguns fios. Funcionava muito bem para um auto falante feito por um moleque de 13 anos. Também já montei até um amplificador para meu mp3 player, com caixas acústicas e tudo mais. Lembro-me que muitos parentes gostavam das minhas criações. Eu tinha um caderninho no qual ficava projetava minhas ideias, tinha de tudo, desde bombas d’água caseiras para submarinos de garrafa pet, até sistemas de automação para meu quarto. Em compensação, minhas notas na escola estavam ó, um c*. Pra que eu vou querer saber logaritmos? Nunca vou usar isso na minha vida. Era o que eu pensava. Nunca repeti o ano, nem mesmo fiquei de exame. Na escola onde eu cursei o fundamental, era muito fácil passar de ano. Bastava não fazer bagunça e entregar todos os trabalhos que eles pediam, que no caso, eram cópias do Wikipédia, e pronto. E foi assim, que eu me formei no fundamental, sem saber fazer uma simples regra de três. Sem saber que a multiplicação tem prioridade em relação a soma. Mas, em compensação, tinha uma facilidade tremenda para inventar gambiarras. Só fui aprender a fazer contas no segundo ano do ensino médio. Escrever corretamente? Bleh. Mas Diego, você começou a escrever sobre seus fracassos. Depois falou sobre as pessoas que pensam serem inferiores às outras com base nos conhecimentos adquiridos na escola. Então você começou a falar a respeito dos seus hobbies geeks de pré-adolescente. Cara, onde você quer chegar com esta merda? Lugar nenhum! Oras, isso aqui é a Padaria Web. A conclusão disso tudo já está subentendida por vocês. Mas para quem não consegue entender textos feitos por pessoas retardadas que se acham blogueiros mas ficam 8 meses sem atualizar o próprio blog, eu deixarei explícita a mensagem que quero passar: “Cara! Você só é burro porque você pensa que é burro! E mesmo que seja, isso não te faz inferior a ninguém”.

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s