histórias, Matt e Biel

Matt e Biel: “O Show do Iron Maiden” Capítulo 1 – A velha.

Estou dando início a uma série, com direito a palavrões e piadas de mau gosto. É a primeira vez que faço algo do tipo. Espero que gostem :)

_____________________________________________

Olá, tudo bem com vocês?

Olha, não sei bem como funciona esse negócio de falar da minha vida pra vocês, sabendo que irão cascar o bico de muitas desgraças. Bom, acho que é esse o objetivo.

Eu me chamo Gabriel, mas todos me chamam de Biel, sim, inclusive a minha mãe me chama assim.

Tenho 20 anos e estou pensando em me matricular em um cursinho pré-vestibular.

Não trabalho, mas juro que eu tentei, quero dizer, estou tentando. Está ficando cada vez mais difícil conseguir a merda de um trabalho nessa cidade. Todos querem alguém com experiência, mas como alguém vai ter a bendita se ninguém quer contratar um cabaço como eu?

Porra, não gosto de falar sobre essas coisas. Prefiro falar sobre o que aconteceu anteontem.

Eu e o Matt fomos em um barzinho onde estava tocando uma banda cover de Raimundos. Até aí, tudo bem, até que apareceram três garotas.

Uma delas parecia ser filha do Faustão, juro. Ela parecia ser uma daquelas garotas que foram muito gordinhas na adolescência, cresceram e perderam barriga, mas continuam com a cintura e ombros largos. O rosto era idêntico ao do Faustão, com o papo debaixo do queixo e tudo. Só faltava ela dizer “Ô louco, meu!”. Comecei a rir enquanto pensava nisso.

–    Do que você está rindo? O Bozo apareceu pra cantar Mulher de fases? – perguntou Matt.

–   Vai se foder! Eu estava olhando para gordinha alí sentada na mesa da frente e pensei num troço engraçado.

–    Tá pensando em como serão seus filhos com ela?

–    Não, seu babaca. É que ela se parece muito com o Faustão. Olha lá.

–    Putz!!! Eu não tinha reparado nisso. Ô louco, bicho!

Não deu outra, caímos na gargalhada ali mesmo. Rimos tanto que o vocalista da banda cover olhou pra gente com cara feia. Ele deve ter pensado que estávamos rindo da música. Bom, sorte dele que não, pois a som deles estava uma bosta também!

De repente uma das amigas da filha do Faustão se levantou e veio andando em direção a nossa mesa.

Putz!!! Agora fodeu, elas perceberam que estávamos cascando o bico da…

–    Oi meninos!!! estão vendo aquela garota alí de cabelo preto e blusinha vermelha? Ela está interessada em um de vocês. E aí, Rola? – Perguntou a amiga do gordinha.

–    Quem? A filha do Faustão? – perguntou Matt, sem querer.

Meu, não acredito que o Matt deixou escapar essa. Que vacilo!

–    Nossa! Você não tem educação não?

–    Sinto muito, eu não tive intenção…

–    Não teve o caramba! – Essa amiga é nervosinha, hein?

–    É sério, não era dela que eu estava falando. Eu…

Já era tarde, a garota já havia virado as costas pra gente. Foi andando em direção a dois caras que estavam tomando cerveja no balcão.

–    Você acaba de me colocar em confusão de novo, seu imbecil! – resmunguei.

–    O que? Você acha que ela foi chamar aqueles dois caras pra bater na gente? Aposto que ela foi oferecer aquela filha do Lúcifer pra eles. Calma, Biel, eu tenho tudo sob controle…

–    Sob controle uma ova!!! Sempre que você diz isso, a gente se fode mais ainda. Lembra daquela vez em que você foi dar cavalo de pau com o carro da sua mãe?

Para quem não sabe dessa história, vou tentar resumir: Tudo aconteceu no verão passado, quando a mãe do Matt havia comprado um Ecosport novinho, completo. Ela mal havia andado com o carro quando o Matt pediu para dar uma voltinha no quarteirão com ele. Mas não só foi uma “voltinha”.

Ele veio me apanhar em casa enquanto eu estava dormindo – ao menos deveria ter continuado a dormir. E o maldito me acordou com a buzina. Claro que mandei ele ir se foder com aquele carro, só não sei o que me fez entrar lá dentro.

Demos várias voltas pelo bairro até que o Matt teve a brilhante ideia de dar um cavalo de pau com o carro novinho da mamãe. Adivinha só no que deu? Capotamos 2 vezes e eu fraturei o braço direito. Com ele nada havia acontecido.

Depois disso, Matt ganhou um carro só dele, para não ter risco de estragar o carro da mãe novamente. É mole?

Eu ainda não disse quem é o Matt. Hehe. O nome verdadeiro dele é Matriciano, só que ele detesta esse nome e quer se “americanizar”, por isso Matt. O cara é o maior filhinho de papai que eu já conheci.

Não me recordo de como acabamos nos tornando melhores amigos, apenas aconteceu. Sim, é com muita dor no coração que digo que ele é meu melhor amigo, mesmo sendo um tremendo de um filho da puta.

–    Eles estão vindo em nossa direção – disse Matt.

E estavam mesmo. Dois caras mais ou menos fortes. Altos. Ambos estavam usando uma camiseta da Hollister, um de rosa e o outro de azul turquesa. Que bonitinho, pareciam um casal gay.

–    Parabéns! Seu filho da puta! Vamos dar no pé – eu já estava levantando da cadeira.

–    Calma aí meu chapa, pode ficar “tranquilinho” que eu só quero conversar – disse o cara de camiseta rosa.

Tranquilinho??? Quem fala uma merda dessas hoje em dia?

–    Cara, eu não sei o que essa maluca aí disse pra você, mas nós só estávamos conversando e …

–    Olha como fala – respondeu o cara de camisa azul.

O rapaz de camiseta azul fazia uma cara de bravo, mas tinha uma voz fina muito engraçada. Eu quase caí na gargalhada quando ele abriu a boca. Ainda bem que consegui me segurar.

–    Vem cá, por que vocês não vão cuidar da vida de vocês, Hein? Não vamos brigar por causa dessas garotas – disse Matt.

–    A “filha do Faustão” é minha irmã – disse o voz fina.

Por que ele foi falar uma coisa dessas? Já estava extremamente difícil me segurar, comecei a rir como nunca. Parecia até que eu estava assistindo O Borat pela primeira vez. Não conseguia parar de rir. Juro.

–    Vocês querem problema, não é? Pois bem, conseguiram – disse o namorado do voz fina.

–    Vai se foder! O que você vai fazer? Me bater? Cai dentro então, sua bixa!

O Matt é um imbecil, mesmo, tenho que admitir. Mas até que gostei da resposta que ele deu.

Os dois começaram a trocar chutes e socos ali mesmo no meio do bar. Eu apenas observava. Tem vezes que não consigo tomar uma iniciativa para nada. Tem vezes em que dá vontade apenas de ficar parado, esperando que as coisas se resolvam.

O voz fina havia sumido naquele momento, parece até que havia amarelado. Resolvi então tomar uma iniciativa e separei a briga dos dois. Claro que tomei vários chutes e safanões. Eu já sabia que iria me arrepender de ajudar o Matt.

–    Parem com isso, aqui não é lugar de brigar!!!

–    Seu filho da puta, não quero te ver aqui novamente!!! – gritou o cara de camisa rosa.

–    Ah é? E quem vai me impedir? Eu vou voltar aqui sempre que eu quiser! – disse Matt.

–    Ha ha ha, você não sabe quem eu sou. Sabe, garoto?

–    Você é um viadinho, que vai …

Nessa hora o voz fina havia aparecido, com 3 caras que mais pareciam armários.

Pois é gente, será que esse é meu fim? Bom, claro que não! Pois ainda estou escrevendo esse monte de merda aqui.

Não me lembro muito bem do que aconteceu depois da chegada da cavalaria. Só sei que eu e o Matt fomos parar no chão, do lado de fora do bar.

O namorado do voz fina, aquele que entrou na briga com o Matt, era o dono do bar. Não só do bar como também de duas casas de shows e um puteiro da cidade.

Cheguei em casa por volta das 3 da manhã. Mais cedo que o normal. Fui no banheiro para tomar uma ducha, me olhei no espelho e… puta merda! Parecia que eu tinha entrado em uma briga de bar com o Anderson Silva. Meu olho direito estava inchado e roxo. Como isso aconteceu? Não me recordo.

Depois do banho, fiquei mais alguns minutos passando gelo no local da inchação e então fui dormir.

Tive uns sonhos muito doidos naquela noite, não me recordo muito bem de alguns deles, mas lembro que sonhei com minha ex-namorada. No sonho, ela havia sido contratada para ser dançarina do Faustão, e eu queria voltar com ela depois de vê-la na TV.

Foi um sonho de merda. Eu não voltaria com ela nem por pressão do Capitão Nascimento.

Você deve estar pensando: “ela deve ser a filha do Capiroto então”. Não, ela é muito linda, aquela filha da puta. Uma das garotas mais bonitas da cidade. Eu não quero contar, agora, como nos separamos. Deixarei isso para outro dia.

TRIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIM!!!

Esse é o meu celular tocando, quem será o maldito que se atreve a me acordar às 13:30?!?

–    Porra! o que você quer? – perguntei gentilmente.

–    Cara você não vai acreditar no que eu acabei de conseguir!

–    Fala então, porra, quem é você?

–    É o Cabeça, poxa, não lembra de mim?

–    Ah sim, Cabeça, foi mal. Eu pensei que era o Matt me ligando…

–    He he… tudo certo?

–    Tudo jóia, o que manda?

–    Mano, tá ligado que eu voltei a trabalhar como DJ lá na 97 FM, né?

–    Ah, claro que lembro… Lembro sim! – eu menti.

–    Então, é que teve um sorteio de 4 convites para o show do Iron Maiden, lá na arena 11. Quem ganhou foi uma velhinha de 82 anos que iria levar os netos para o show…

–    Poxa, que massa…

–    Sim, sim. Só que tem um porém.

–    Qual?

–    Ela morreu hoje de manhã. Parece que alguns ladrões entraram na casa dela, mas a velha já estava à espera deles com uma espingarda. Ela matou dois dos ladrões, mas foi baleada no estômago e não resistiu.

–    Puta merda! Que triste, mano…

–    Sim, cara, fiquei abalado com isso também, até que lembrei de uma coisa e é por isso que eu te liguei.

–    Que coisa é essa?

–    Os ingressos que a velhinha ganhou no sorteio só seriam enviados hoje, mas como ela morreu…

–    Você vai roubar os ingressos da velha?

–    Tecnicamente, os ingressos não são mais dela, já que…

–    Tá, tá. Mas o dono da radio não vai querer fazer outro sorteio com esses ingressos?

–    Não, porque ele acha que os ingressos já foram enviados para a velha ontem. Ele me pediu para fazer isso mas eu esqueci, ou seja, os ingressos agora são meus!

–    Seu sacana! O que você vai fazer com eles?

–    Bom, eu dei dois para o meu irmão, ele adora esses tal de “révi métou” e vai levar a namorada também. Só que eu preciso de um favor seu, você e o Matt poderiam levá-los para o show?

–    Como assim “eu e o Matt”? por acaso você pensa que somos algum tipo de casal gay? Quem tem carro é o Matt, ele…

–    Não! Não foi isso o que eu quis dizer. Me desculpe, é que vocês dois andam sempre juntos e como ainda tenho dois ingressos sobrando, eu pensei que vocês gostariam de ir, com a condição de levar o meu irmão e a namorada dele também.

–    Você está pensando em nos dar esses dois ingressos? – Isso só pode ser um sonho. Sério. Estou sonhando?

–    Estou sim. Topa?

–    É claro que sim!!!

aeHOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!! Iron Maiden, aí vou eu!!!

(próximo capítulo em breve)

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s